Missão

«Para cumprir a sua missão, a BE selecciona, adquire, organiza, preserva e possibilita aos seus utilizadores acesso a um conjunto de materiais, quer em suporte impresso, quer noutros suportes, incluindo o suporte electrónico, indo ao encontro dos interesses e necessidades dos membros da comunidade educativa que serve. »

Integradadas na Rede de Bibliotecas Escolares, as Bibliotecas Escolares que integram o Agrupamento de Escolas de Quinta da Lomba regem-se pelos princípios orientadores do Programa RBE, nomeadamente os princípios consignados nos documentos orientadores da sua acção – Manifesto das Bibliotecas Escolares aprovado pela UNESCO em 1999, Directrizes da IFLA para Bibliotecas Escolares (2002) e o relatório Lançar a Rede de Bibliotecas Escolares (1996).

É missão das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas de Quinta da Lomba:
i.“Disponibilizar serviços de aprendizagem, livros e recursos que permitem a todos os membros da comunidade escolar tornarem-se pensadores críticos e utilizadores efectivos da informação em todos os suportes e meios de comunicação.”
ii.“Apoiar a utilização de livros e outras fontes de informação, desde obras de ficção a obras de referência, impressas ou electrónicas, presenciais ou remotas. Estes recursos complementam e enriquecem os manuais escolares e os materiais e metodologias de ensino.”
iii.“Disponibilizar os seus serviços de igual modo a todos os membros da comunidade escolar, independentemente da idade, raça, sexo, religião, nacionalidade, língua e estatuto profissional ou social. Aos utilizadores que, por qualquer razão, não possam utilizar os serviços e materiais comuns da biblioteca, devem ser disponibilizados serviços e materiais específicos.
iv.Incentivar o trabalho colaborativo pois “está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os alunos atingem níveis mais elevados de literacia, de leitura, de aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação.”
v.“O acesso aos serviços e fundos documentais deve orientar-se pela Declaração Universal dos Direitos e Liberdades do Homem, aprovada pelas Nações Unidas, e não deverá ser sujeito a nenhuma forma de censura ideológica, política ou religiosa ou a pressões comerciais.”